INFORMAÇÕES

   






 
]

 

 

África e sua cultura!

http://3.bp.blogspot.com/-Q_Yvdw1KsjU/UwudMMXWzrI/AAAAAAAAD24/MDs8y8g9LvM/s1600/CAAFRICA.jpgA África é um continente de grande diversidade cultural que se vê fortemente ligada à cultura brasileira. Os africanos prezam muito a moral e acreditam até que esta é bem semelhante à religião. Acreditam também que o homem precisa respeitar a natureza, a vida e os outros homens para que não sejam punidos pelos espíritos com secas, enchentes, doenças, pestes, morte etc. Não utilizavam textos e nem imagens para se basearem, mas fazem seus ritos a partir do conhecimento repassado através de gerações antigas. Sua influência na formação do povo brasileiro é vista até os dias atuais. Apesar do primeiro contato africano com os brasileiros não ter sido satisfatório, esses transmitiram vários costumes como: Capoeira (que será apresentado nesse mesmo trabalho), Candomblé, Culinária, etc. 

 

http://4.bp.blogspot.com/-Bj9Pv6-nPBg/UwudO_XmOSI/AAAAAAAAD3g/Wq2kFLbQwGM/s1600/CAROUPAS.jpgTrajes africanos São marcas da identidade de cada grupo.Os povos do continente africano costumam usar trajes, pinturas corporais, tecidos e adornos, conforme as identidades de seus devidos grupos. 

 

Geralmente as pinturas são usadas em cerimônias, para enfeitar o corpo ou para exibir o estilo de sua tribo, todas as pinturas tem um significado diferente. A vestimenta africana tradicional é o traje usado pelos povos nativos do continente, por vezes substituída por roupas ocidentais introduzidas pelos colonizadores europeus.

 

 

http://4.bp.blogspot.com/-tw3rLS0aOhI/UwudNV2eSNI/AAAAAAAAD3U/h2nQ0MJICn4/s1600/CADAN%C3%87A.jpgA música africana, apoiada na ancestralidade, permeia dos batuques ao ritmo popular Kuduru, Zouk, estilos que movem a realidade cultural africana.

 

Uma descrição geral da chamada música africana não seria possível dada a quantidade e variedade de expressões.

 

A música popular da África é vasta e variada. A maioria dos gêneros contemporâneos de música popular africana baseada na polinização cruzada com a música popular ocidental. Muitos gêneros de música popular como blues, jazz, salsa e rumba derivam em diversos graus das musicas tradicionais da África, levadas para as Américas por escravos afriacanos.

Alguns gêneros: Afrobeat, Apala, Cape Jazz, Fuji, Kuduro, Sega, Sakara.

 

http://1.bp.blogspot.com/-9ceqHqBoTu0/UwudMAHo5vI/AAAAAAAAD28/vvddOdWvdf8/s1600/CACULINARIA.JPGNo seguimento da culinária, destaca-se pelos aromas, condimentos, divididas através das regiões: Calulu, o milho como base da alimentação, produtos da Costa: Pimenta da Costa, outros inusitados como ''Chips de Banana''.

 

 

A África tem tem uma culinária própria, tendo como base de seu cardápio as carnes vermelhas, além das comidas exóticas. Num evento social de nome braai, pode-se comer carnes grelhadas, mas estas nunca são preparadas por mulheres. Os homens juntam-se em volta dos braseiros e as mulheres ficam responsáveis por preparar as saladas e as sobremesas. Como comidas exóticas, comem grilos fritos, mas hoje em dia a culinária africana é reconhecida pela sua singularidade e sabor, copiada em muitos países do mundo.

 

http://1.bp.blogspot.com/-TgIrDURBtyw/UwudO0zODbI/AAAAAAAAD3k/hJA54vtjxlo/s1600/CARELIGI%C3%83O.jpgAs religiões tradicionais africanas englobam manifestações culturais, religiosas, espirituais e indígenas no continente africano, há uma multiplicidade de religiões dentro destas categorias.

 

 

 

1.1 - Hinduísmo

A do hinduísmo na África é relativamente recente, em comparação com a história do Islão, o Cristianismo ou Judaísmo. No entanto, a presença de seus praticantes na África. remonta aos tempos pré-coloniais, até a época medieval.

 

1.2 - Islã

Islã tem adeptos em toda a África. É a religião predominante na África do Norte, e também predominante na África Ocidental (sobretudo na Costa do Marfim, Gana norte, sudoeste e norte da Nigéria), no Nordeste de África e ao longo da costa da África Oriental.

 

1.3 - Religião Tradicional - tradicional religião africana engloba uma grande variedade de crenças tradicionais. Tradicionais costumes religiosos são, por vezes, partilhada por muitos Africanos, mas são geralmente exclusivo para grupos étnicos específicos. Muitos Africanos cristãos e muçulmanos mantem alguns aspectos de suas religiões tradicionais.

 

 

 

http://3.bp.blogspot.com/-SAEgUBO0lpk/UwudNpiEDGI/AAAAAAAAD3M/qw6NnR_2O2c/s1600/CAMUSICA.jpgDesde a invasão dos colonizadores, tudo sofreu alterações na África, desde os nomes usados até a própria civilização, isso ocorreu pela permanência dos colonos desde a data do acontecimento até hoje, com a entrada de outras culturas.
Ao ritmo do Semba, Kuduro, Funará, Puita, entre outros, são dançadas em pequenas coreografias, trabalhando assim os movimentos da anca,e a facilidade de juntar a agilidade dos braços, pernas e cabeça, num só movimento culminando num trabalho de ritmo corporal.



http://3.bp.blogspot.com/-9wk7D7nruMc/UwudNWuUFqI/AAAAAAAAD3I/V_K1SQiioAM/s1600/CAPOEIRA.jpgA Capoeira é uma luta disfarçada em dança, criada pelos escravos (trazidos da África para o Brasil pelo navio negreiro). Na época da escravidão toda cultura negra era reprimida principalmente se tivesse uma conotação de luta, então para poder ser disfarçada a sua prática entre os negros, foi adicionado os instrumentos musicais que deram uma imagem de dança a Capoeira.



Fonte: http://itssafrica.blogspot.com.br/


Lince



 

Gnu





As  meninas nigerianas sequestradas



Mas, primeiro, ainda há a difícil missão de procurar pelas meninas. Cerca de 200 militantes teriam participado do ataque e o grupo Boko Haram assumiu a autoria do sequestro.

Acredita-se que as jovens tenham sido divididas em grupos menores, espalhados pela região da floresta de Sambisa, uma mata densa que tem 60 mil quilômetros quadrados.

O envio de uma equipe pequena dos EUA não vai mudar totalmente a situação, mas é mais do que uma medida cosmética, segundo Richard Downie, vice-diretor do Programa Africano do Centro de Estudos Estratégicos Internacionais (CSIS). A medida visa corrigir falhas das forças de segurança nigerianas que, não têm conseguido evitar os ataques devido à falta de coordenação e troca de informações.

  
Menina que conseguiu escapar deu informações sobre o sofrimento no cativeiro. Mais de 200 garotas ainda estão em posse dos sequestradores
Uma das meninas sequestradas na Nigéria no último dia 14 de abril, supostamente pelo grupo islâmico Boko Haram, conseguiu escapar e denunciou que as reféns são vítimas de até 15 estupros por dia, segundo o portal local The Trent.
Após serem sequestradas em uma escola de Chibok, no nordeste da Nigéria, as crianças (dezenas das quais seguem em cativeiro) foram levadas a um campo da milícia fundamentalista na floresta de Sambisa, no estado de Borno, no norte do país e base espiritual e de operações do grupo.
As mais de 200 garotas, segundo organizações de direitos humanos, foram forçadas a se casar com seus sequestradores e, em alguns casos, vendidas a menos de R$ 30.
#BringBackOurGirls
Entidades como a ONU e personalidades como o prêmio Nobel de Literatura nigeriano Wole Soyinka pediram a libertação das meninas, assim como campanhas pela internet, usando a hasthag #BringBackOurGirls (tragam de volta nossas garotas), e manifestações em cidades de todo o mundo.
Um grupo de mães das reféns protestou recentemente em frente à Assembleia Nacional da Nigéria para denunciar a falta de informação por parte do governo sobre o caso e exigir mais esforços para o resgate.
Boko Haram
É uma expressão que significa "a educação ocidental é pecado".  
                                                                             retirado do bbc jornal da nigeria
Pangolin




Leoa mata mamãe macaca, mas cuida de

 filhote na África





Depois de matar a mãe do filhote, ela cuidou do pequeno babuíno
Durante uma viagem a Botsuana, na África, os fotógrafos de vida selvagem Evan Schiller e Lisa Howlzwarth se depararam com uma cena emocionante e foram, mais uma vez, surpreendidos pela natureza. Andando de carro pelo nordeste do país, a dupla flagrou um grande grupo de babuínos correndo pelas árvores.
“Entre 30 e 40 babuínos vinham em nossa direção, fazendo muito barulho (...). Não tínhamos ideia do motivo, mas do alto das árvores, eles tinham um ponto de vista melhor”, explicou Lisa em seu blog The LEO Chronicles. O grupo de macacos já tinha notado a presença de duas grandes leoas em busca de uma refeição. “Entre os gritos dos babuínos e os rugidos guturais das leoas, a cena estava uma loucura”, disse ela.
A confusão piorou quando uma babuíno fêmea desceu da árvore para tentar correr dali, mas acabou sendo fisgada por uma das leoas. Foi quando um filhote se desvencilhou do corpo morto da mãe e correu para tentar escalar uma árvore. “Apesar de ser tão jovem (devia ter cerca de um mês), eu fiquei impressionada ao ver como seu instinto foi rápido e ele correu para ficar a salvo em uma árvore”, escreveu Lisa. Apesar das tentativas, o pequeno macaco parecia não ter forças para escalar.
Uma das leoas percebeu, então, o filhote que tentava fugir. Ela se aproximou e abocanhou o pequeno babuíno, mas não para matá-lo. “Ela pegou ele pela boca (ela poderia tê-lo engolido num piscar de olhos) e o colocou em sua frente. O que aconteceu em seguida nos chocou — o filhote, em outro momento instintivo, abraçou o peito da leoa e começou a tentar sugar. As fotos dizem tudo”, conta ela.

A leoa flagrou o pequeno babuíno tentando escapar


Como se a cena não pudesse ficar ainda mais fofa, numa árvore perto dali um grande babuíno macho observava tudo, buscando uma chance de salvar o bebê. Com a chegada de dois leões, a situação ficou um pouco tensa entre os felinos, e o papai teve a oportunidade de descer e resgatar o filhote. “Eu fiquei tocada pela forma como o pai carregou o bebê de forma gentil, depois de tantas provações”, disse a fotógrafa.
“O jovem babuíno é uma inspiração para mim, e um lembrete de que a vida é frágil e não importa o quanto a gente tente controlar os resultados, tudo que podemos fazer é viver o agora”, concluiu Lisa

Minha Opiniao 
Achei muito legal e fofa esta historia,que deve ser lida e relida!Isso ai Mae Leoa!


Sitehttp://extra.globo.com/noticias/animais/leoa-mata-mamae-macaca-mas-cuida-de-filhote-na-africa-veja-fotos-impressionantes-12113504.html

Dik-Dik 




                                                  



                                                      






As principais causas da fome na África



As principais causas da fome na África
 O continente africano é um grande produtor e exportador de produtos oriundos da produção agrícola, no entanto não consegue alimentar sua população. A África apresenta um elevadíssimo número de subnutridos, isso lhe dá a condição de pior do mundo nesse aspecto.

O continente se caracteriza pela presença da fome, realidade que aumenta a cada dia. Os países que mais sofrem com a fome são: Etiópia, Somália, Sudão, Moçambique, Malavi, Libéria e Angola.

As estimativas são pessimistas, segundo um relatório do Instituto Internacional de Pesquisa em Política de Alimentação, o número de crianças subnutridas subirá cerca de 18%, estimativa para o ano de 2020.
De acordo com o diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos da ONU, James Morris, a escassez de alimento na África provoca a instabilidade política, desse modo, a fome é, ao mesmo tempo, causa e conseqüência da pobreza. Além disso, é causa e conseqüência dos conflitos.
No mesmo estudo foi divulgada outra estimativa, que afirma que nos próximos 20 anos o continente africano terá uma diminuição na produção de alimentos em cerca de 20%, fato desencadeado pelos conflitos internos.

Segundo estudo realizado pela ONU (Organização das Nações Unidas), cerca de 150 milhões de pessoas africanas não tem acesso à quantidade mínima de calorias diárias. E o pior, outros 23 milhões podem literalmente morrer de fome ou por causas provenientes da mesma, como insuficiência de determinados nutrientes no organismo: falta de potássio, proteína, cálcio, entre outros.

É de conhecimento de todos que a África convive com o problema da fome, agora basta saber quais fatores desencadearam as diversas mazelas sociais que essa parte do mundo se sujeita.
Uma das causas da fome está ligada à forma de ocupação do território e a extrema dependência econômica externa, herdada do período do colonialismo. Isso é agravado ainda mais com o acelerado crescimento populacional.

As taxas de crescimento natural na África são as mais elevadas do mundo. Para se ter uma idéia, a população africana em 1950 era constituída por 221 milhões de pessoas, atualmente, são mais de 850 milhões.
São muitos os motivos que proporcionam esta situação deplorável. A seguir, os fatores que favorecem a proliferação da fome no continente:

• Ocupação de grande parte das terras para o plantio de culturas monocultoras destinadas à exportação, portanto não produzem alimentos que abastecem o mercado interno.

• Diminuição da oferta de alimentos no continente.

• Grande ocorrência de desertificação, em razão da ocupação de áreas impróprias para agricultura.

• Diminuição das pastagens e terras férteis no continente.

• Os conflitos étnicos que resultam em guerras civis.
Em suma, o que temos é um quadro socioeconômico bastante debilitado, e as perspectivas são negativas em relação a esse continente.                                 



Grupo:Khalil          http://www.mundoeducacao.com/geografia/as-principais-causas-fome-na-africa.htm










Mapa do Continente AfricanoContinente Africano

Informações e dados sobre a Continente Africano, economia, relevo, geografia, países,
mapa, rios, vegetação, religiões, problemas africanos

Introdução 
A África é um  continente com, aproximadamente, 30,27 milhões de quilômetros quadrados de terras. Estas se localizam parte no hemisfério norte e parte no sul. Ao norte é banhado pelo mar Mediterrâneo; ao leste pelas águas do Oceano Índico e a oeste pelo Oceano Atlântico. O Sul do continente africano é banhado pelo encontro das águas destes dois oceanos.
Informações importantes sobre o Continente Africano: 
- A África é o segundo continente mais populoso do mundo (fica atrás somente da Ásia). Possui, aproximadamente, 820 milhões de habitantes (estimativa 2011).
- É um continente basicamente agrário, pois cerca de 63% da população habitam o meio rural, enquanto somente 37 % moram em cidades.
- No geral, é um continente pobre e subdesenvolvido, apresentando baixos índices de desenvolvimento econômico. A renda per capita, por exemplo, é de, aproximadamente, US$ 850,00. O PIB (Produto Interno Bruto) corresponde a apenas 1% do PIB mundial. Grande parte dos países possui parques industriais pouco desenvolvidos, enquanto outros nem se quer são industrializados, vivendo basicamente da agricultura.
- O principal bloco econômico africano é o SADC (Southern Africa Development Community), formado por 15 países: África do Sul, Angola, Botswana, República Democrática do Congo, Lesoto, Madagascar, Malaui, Maurícia, Moçambique, Namíbia, Suazilândia, Seychelles, Tanzânia, Zâmbia e Zimbábue.
- Além da agricultura, destaca-se a exploração de recursos minerais como, por exemplo, ouro e diamante. Esta exploração gera pouca renda para os países, pois é feita por empresas multinacionais estrangeiras, principalmente da Europa.
- Os países africanos que possuem um nível de desenvolvimento um pouco melhor do que a média do continente são: África do Sul, Egito, Marrocos,ArgéliaTunísia e Líbia.
- Os principais problemas africanos são: fome, epidemias (a AIDS é a principal) e os conflitos étnicos armados (alguns países vivem em processo de guerra civil).
- Os índices sociais africanos também não são bons. O analfabetismo, por exemplo, é de aproximadamente 40%. 
- As religiões mais presentes no continente são: muçulmana (cerca de 40%) e católica romana (15%). Existem também seguidores de diversos cultos africanos.
- As línguas mais faladas no continente são: inglês, francês, árabe, português e as línguas africanas.
Geografia da África:
Principais rios: Nilo, Níger, Congo, Limpopo, Zambese e Orange.
Clima: Clima Mediterrâneo (chuvas na primavera e outono) no norte e sul; Clima Equatorial (quente e úmido) no centro.
Relevo: Monte Atlas (norte), Planalto Centro-Africano (região central), Grande Vale do Rift com altas montanhas e depressões (leste). Na região norte destaca-se o Deserto do Saara.
- Cidades mais populosas: Cairo (Egito), Lagos (Nigéria), Kinshasa (R. D. do Congo), Cartum (Sudão), Johanesburgo (África do Sul) e Gizé (Egito).
- Países que fazem parte do continente africano: Angola, Argélia, BotsuanaCamarõesLesoto , Madagascar, Malawi, Maurício, Moçambique,NamíbiaSuazilândiaZâmbiaZimbábueRepública Centro-AfricanaRepública Democrática do CongoChadeCongo, Benin, Burkina FasoCabo Verde, Camarões, Costa do MarfimGabãoGâmbiaGanaGuinéGuiné-Bissau, Guiné Equatorial, LibériaMaliMauritâniaNíger, Nigéria,SenegalSerra Leoa, São Tomé e Príncipe, Togo,  Egito, Líbia, Marrocos, Saara Ocidental, SudãoSudão do Sul, Tunísia, Burundi, Djibuti, Eritreia,EtiópiaQuêniaRuandaSeychellesSomáliaTanzânia, e Uganda.
Você sabia?
- É comemorado em 25 de maio de cada ano o Dia da África.



fonte:http://www.suapesquisa.com/geografia/continente_africano.htm
Grupo:khallil 










                                                         





























Condições de vida do povo Africano


As péssimas condições de vida da população africana são divulgadas por todo o mundo através dos meios de comunicação (revistas, jornais, televisão, internet, rádio etc.). A baixa qualidade de vida desse povo é proveniente de diversos fatores, é possível apontar como os principais: a dívida externa e a corrupção.

A dívida externa consome grande parte da receita das nações, além disso, existe ainda o desvio de verbas, de recursos que deveriam ser investidos em serviços sociais básicos (moradia, saúde, educação, entre outros); por isso, grande parte da população africana não desfruta de políticas assistencialistas. Assim, a qualidade dos serviços públicos é precária, o que resulta no pior IDH do mundo.

A África é o continente que apresenta a maior taxa de crescimento vegetativo do mundo, cerca de 1,9% ao ano, fato que agrava ainda mais os problemas sociais existentes (epidemia de doenças, fome, desemprego, e muitos outros). Se o crescimento populacional africano continuar nesse ritmo, no ano de 2015 a população absoluta do continente será de aproximadamente 1 bilhão de habitantes.

Apesar de apresentar taxas de mortalidade elevadas em todas as faixas etárias, as taxas de natalidade são altas, em média, 3,7% ao ano. Atualmente, quase a metade da população africana possui idade inferior a 15 anos.

Em razão da falta de serviços médicos, a expectativa de vida é muito baixa, geralmente um africano não vive mais que 49 anos. Desequilíbrio que afeta diretamente a população economicamente ativa, pois a quantidade de trabalhadores não é suficiente para manter os jovens que ainda não ingressaram no mercado de trabalho.

Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia

As condições de moradia, alimentação e saúde do povo africano são bastante precárias.




Hiena




  







16 de Junho, Dia da Criança Africana



Celebra-se o Dia da Criança Africana. A organização das Nações Unidas para a Infância, UNICEF, informa numa nota, que se une à União Africana para recordar o empenho das diversas comunidades africanas no sentido de provocar mudanças sociais tendentes a remover as praticas que põem em perigo a vida e a saúde de milhões de crianças. De entre elas a mutilação genital feminina praticada ainda em 29 países da África, a estigmatização de crianças acusadas de feitiçaria, ou a grande mortalidade infantil devido a doenças que se poderiam prever ou curar com poucos meios financeiros. Com efeito, são todos africanos os 10 países do mundo com as mais altas taxas de mortalidade de crianças com menos de cinco anos… Na Serra Leoa 185 crianças em cada mil morrem antes dessa idade, na Somália 180, no Mali 176, no Chade 169, na RDC 168, na Guiné-Bissau 161, em Angola 158, e assim por diante.
O UNICEF - lê-se na nota – trabalha no sentido de ajudar a prevenir práticas prejudiciais, instituindo por exemplo, estruturas jurídicas e códigos de conduta para perseguir e punir os responsáveis. Envolve também líderes de comunidades religiosas, entre outras, para mudar normas ou condicionamentos que continuam a fazer perpetuar a violência e levam pais, professores e pessoal medico a fazer uso da violência na educação às crianças.
O UNICEF apoia também a formação daqueles que trabalham para garantir cuidados adequados às crianças com deficiências e às envolvidas nas violências. 



http://pt.radiovaticana.va/news/2013/06/15/16_de_junho,_dia_da_crian%C3%A7a_africana_/por-701810

grupo Príncipe





                                          


Em 1964, a UNESCO dava início a uma tarefa sem precedentes: contar a história da África a partir da perspectiva dos próprios africanos. Mostrar ao mundo, por exemplo, que diversas técnicas e tecnologias hoje utilizadas são originárias do continente, bem como provar que a região era constituída por sociedades organizadas, e não por tribos, como se costuma pensar.

Quase 30 anos depois, 350 cientistas coordenados por um comitê formado por 39 especialistas, dois terços deles africanos, completaram o desafio de reconstruir a historiografia africana livre de estereótipos e do olhar estrangeiro. Estavam completas as quase dez mil páginas dos oito volumes da Coleção História Geral da África, editada em inglês, francês e árabe entres as décadas de 1980 e 1990.

Além de apresentar uma visão de dentro do continente, a obra cumpre a função de mostrar à sociedade que a história africana não se resume ao tráfico de escravos e à pobreza. Para disseminar entre a população brasileira esse novo olhar sobre o continente, a UNESCO no Brasil, em parceria com a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação (SECAD/MEC) e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), viabilizaram a edição completa em português da Coleção, considerada até hoje a principal obra de referência sobre o assunto.

O objetivo da iniciativa é  preencher uma lacuna na formação brasileira a respeito do legado do continente para a própria identidade nacional.

O Brasil e outros países de língua portuguesa têm agora a oportunidade de conhecer a Coleção História Geral da África em português. A coleção foi lançada em solenidade, em Brasília, com a presença dos ministros de Educação e Cultura.

GRUPO: ORIX





4 comentários:

  1. ANIMAIS AFRICANOS
    Na África existem aproximadamente 45 tipos de espécies de primatas (incluindo chimpanzés e gorilas). Existem também mais de 60 espécies de predadores carnívoros. Alguns exemplos destes últimos são: as chitas, os leopardos, as hienas, as raposas, os cães selvagens, os chacais e os leões. Esses animais são vitais para a melhora do equilíbrio ecológico das áreas em que habitam, em outras palavras, eles são muito importantes para o meio ambiente (principalmente para os lugares em que vivem). Além desses animais, o ecossistema africano é composto por muitas espécies de herbívoros, peixes, répteis, aves e muitos outros animais.
    Desde 1940 o número de animais na África vem diminuindo devido as ações humanas, tanto direta quanto indiretamente. Por causa disso, várias espécies entraram em processo de extinção. Ultimamente está aumentando o policiamento florestal e também os esforços de proteção aos animais da África.
    Animais Africanos
    http://animais.culturamix.com/curiosidades/animais-da-africa
    GRUPO:KHALIL

    ResponderExcluir